segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Santa


Alguém corre,
Quer me pegar.
Diz que sou puta,
Me quer, calar.
O padre benze,
Quer me queimar
E a inquisição
Da Carola maldita,
Que mata e grita...
Mata de tédio,
No prédio, motel...
Bordel da puta ao léo...
Arrancam meu clitóris,
Decepam minha fome,
Me tiram o homem,
Me enterram viva...
Alguém corre,
Quer me pegar.
Diz que sou puta,
Que dou azar.
Vou converter,
Vou me curar,
Na orgia, no dia,
Nua e crucificada...
Nua e crucificada...
Mais nada.
Por todos os séculos
Nos séculos, há séculos...
Amém!

Um comentário:

emerson disse...

do caralho Me
ahauha

muto foda!

Beijo